Meu coração foi de bar em bar,
Se perdeu nunca mais se achou
Foi vivendo assim
Sem ter mingúem para dizer um boa noite



E sa penúltima nem tomou
Nem deu conta quando um garçom
Ò cobriu com uma noite de estrela para ele dormir.



E… pelos bares por onde andei
Quantos copos eu já quebrei
Ao brindar muita paz e a Deus rogar aos amigos saúde.
Quando se foram sem um adeus
Se grudando nos versos meus
Como cacos de vidros espalhados
No meu coração.



Sonhou que era um chorinho
Tocado carinhoso
Pediu então um shopinho
Bem caprichado na pressão
E veio geladinho
Espuma no colarinho
Ah seu garçom vai com jeitinho
Pede outro chorinho sem sair do tom.



Meu coração vai vivendo assim
Mendigando de bar em bar
Uma esmola qualquer
De uma palavra de um jeito carinhoso.



Velhos amigos quero rever
Vendo à noite se transformar
Numa rede que vai entre nuvens me adormecer



Em cada bar
Que eu passei
Eu lavrei a escrição
Trouxe aqui
Este meu coração
Para nele sua magoa afogar



Bar dece lar
Que aos boêmios a vida abrigou
Lua cheia ou minguante ou num quarto de lua
Há um lugar para essa dor.



Mais feito um bar o amor
É fiel ao amor
Ao seu mode ele quer procurar
Outros braços pra neles dormir



Sabe que a vida tapete de estrelas já vai
Estendendo pelo ar esse novo endereço
É ali por ai.



Em cada bar fez um novo amor
E os larguei quando Deus mandou
Vou vivendo assim
Porque o destino me fez um vadio.



Novo endereço ele vai traçar
E virei para te avisar
Quando à noite uma toalha de estrela
Me ter para cobrir.



Pixinguinha
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Parlendas O que são parlendas, exemplos de parlendas populares, folclore, brincadeiras infantis, versos

COMO É SER AVÓ PELA PRIMEIRA VEZ...

Brincadeiras do Folclore. Principais brincadeiras do folclore brasileiro, jogos folclóricos, brinquedos do folclore

Jerry Lewis - Filme : Bancando a ama seca ( dublado completo )

Papo, papeira.